sábado, 5 de abril de 2008

Ginger Baker Trio - Going Back Home [1994]



Para o lendário baterista Ginger Baker e seus virtuosos colaboradores, o baixista Charlie Haden e o guitarrista Bill Frisell, a música é uma porta aberta. Energizado pelo espírito de improvisação do jazz, Going Back Home, é uma histórica super-session, uma dançante celebração de diversidade -- um híbrido inovador do jazz, blues, country, rock e raízes étnicas. O disco captura a dinâmica rica e melódica da bateria de Baker e as nuances viscerais do baixo Haden -- porque o ritmo é gravado quase ao fundo, e carrega o peso de cada improvisação. Assim, em "Rambler" e "When We Go," o guitarrista Bill Frisell está livre para flutuar levemente sobre a pulsante batida de fundo deles, incitando aspectos do Tex-Mex blues, segundas linhas de New Orleans e dança havaiana. A pungente canção “Spiritual” de Haden e o bluesy de Monk “Straight No Chaser” apontam para uma articulação country, enquanto “Ramblin” de Ornette Coleman se passa como um balanço “Hendrixiano”. O breve momento do solo trovejante de Baker na agitada “In the Moment” de Haden é uma ascendência ao espírito de Big Sid Catlett (lendário baterista de jazz), já em “Ginger Blues” ele toca com leveza e delicada gradação. Mas o mais surpreendente é a qualidade das composições de Baker. “Ain Temouchant” é toda mistério árabe, enquanto seu tema em “I Lu Kron” sugere uma incitação “Coltrainiana” depurada em apenas 2 min. e 39 seg. Mas é “East Timor”, com suas figuras rítmicas “afrocêntricas”, dramática narrativa falada e improvisação de blues psicodélico (uma sombra de Clapton e Cream), que indica o verdadeiro potencial de arranjador do baterista. Tudo isso fez de Going Back Home uma das grandes surpresas musicais de 1994.
Tradução de Woody -> Going Back Home album notes






Ginger Baker Trio - Going Back Home

For legendary drummer Ginger Baker and his master collaborators (acoustic bassist Charlie Haden and electric guitarist Bill Frisell), music is an open door. Animated by the spirit of jazz improvisation, GOING BACK HOME is an historic super-session, a dancing celebration of diversity--an innovative hybrid of jazz, blues, country, rock and ethnic sources. GOING BACK HOME captures the rich melodic dynamics of Baker's drums and the gut string nuances of Haden's bass--because the rhythm is recorded out front, and bears the weight of each improvisation. So on the guitarist's "Rambler" and "When We Go," Frisell is free to float weightlessly above their throbbing backbeats, evoking facets of Tex-Mex blues, New Orleans second lines, and Hawaiian dances. And if Haden's poignant hymn "Spiritual" and Monk's bluesy "Straight No Chaser" betray a pronounced country air, well, even Ornette Coleman's "Ramblin" comes off like a Hendrixian hoedown. Baker's brief, thundering solo on Haden's tumultuous "In The Moment" is a nod to the spirit of Big Sid Catlett, yet he plays with airy, nuanced delicacy on "Ginger Blues." But most surprising is the quality of Ginger's writing. "Ain Temouchant" is all Arabic mystery, while his chanting theme on "I Lu Kron" inspires a rousing Coltraneish catharsis in only 2:39. But it's Baker's "East Timor," with its Afrocentric rhythm figures, dramatic spoken narrative and wild psychedelic blues jam (shades of Clapton and Cream), that hints at the drummer's true potential as arranger. Which makes GOING BACK HOME one of the great musical surprises of 1994.
From -> Going Back Home album notes






Ginger Baker Trio - Going Back Home

13 comentários:

Eu Ovo disse...

Que puta discão hein?

valeu pelo link lá no Eu Ovo - ainda não baixei - mas por preguiça apenas.

abração,
Bruno

woody disse...

O disco é "bão memo"!
Espere até ver o Clapton na seqüência.
Brigadão pelo comment!

Abarço,
WOODY

Anônimo disse...

Valeu!!!

Ginger Baker é dificil de encontrar na rede.. Posta mais dele!!!!

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Véi Woody,
agora sou eu que digo: tenha dó do meu HD! rsrsrs Brincadeira, acabei de adquirir mais um HD pra minha máquina, então, por mim, pode mandar mais pérolas como essa que eu vou baixar sem dó nem piedade. rsrsrs
Não comentei antes, mas gostei muito dos discos do trio Surman, Bruce & Hiseman; não conhecia e chapei geral. Excelente!
Abração.
ML

woody disse...

Caro anônimo,
pretendo postar outros dele no futuro, mas não tão já. Porém se vc gostou desse disco, saiba que eles gravaram mais um com essa mesma formação e o álbum foi postado lá no nosso amigo Seres da Noite, é só cair lá e conferir:

http://seres-da-noite.blogspot.com/2008/03/ginger-baker-trio-falling-off-roof.html

woody disse...

E aí Mr. Maddy!
É bom vêlo aqui outra vez e já que vc tá com espaço sobrando, pode baixar o do Clapton que acabo de postar para completar a trilogia Cream on Jazz. É coisa fina!

Grato pela visita,
WOODY

snowmonkey disse...

Great mix today!

Thanks for a new sound to tickle me ears!

woody disse...

Hi Snowmonkey!

Thanks for comment!

Sergio disse...

!!! Em compensaçÃO!........... Esse disco é bão para varalho!

woody disse...

O disco do Clapton é praticamente uma uma brincadeira entre amigos, aqui a coisa é séria. Muito séria. Eu acho simplesmente fantástico!

Abraço,
WOODY

jb disse...

Thank you! Great record.

woody disse...

You are welcome JB!

Cheers,
WOODY

Anônimo disse...

Ai, Woody!

Grande Blog...

Esse Ginger Baker ta com problemas.
Eu resolvi pelo link no Seres da Noite, tudo bem. Tá baixando.
Mas, só pra constar...

De qualquer forma, já sou frequentador do boogie.

ZEM