sexta-feira, 13 de julho de 2007

The Rolling Stones - Hoodoo Scrounge Outtakes [1993]





Voodoo Lounge marcou o fim de um silêncio de cinco anos que vinha desde Steel Wheel em 1989, último disco com Bill Wyman, que anunciou a sua retirada no início de 93, fazendo crescer, mais uma vez, os boatos de que a banda tinha acabado. Para calar os incrédulos nada melhor que um bom disco. Como essas coisas não nascem de um dia para outro foram precisos meses de ensaios, fazendo arranjos e escolhendo músicas até o produto final. As sobras de tudo isso acabou gerando uma série de bootlegs, alguns meio maçantes como o CD duplo Voodoo Residue (nossa, da até sono!) e outros bem legais como este Hoodoo Scrounge Outtakes, que reúne um material para encher os ouvidos dos stonesmaníacos. A começar pela inédita “Honest Man”, que inexplicavelmente ficou de fora do disco, pois é um hit de primeira no velho estilo Rolling Stones; na seqüência, mais duas inéditas: “Zip Mouth Angel”, uma típica balada Mick Jagger e “You Got It Made” matadora a la Keith Richards! E isso é só o começo, pois segue com uma versão instrumental de “You Got Me Rocking” e mais uma que ficou de fora “Travellin’ Man” sendo ensaiada apenas pela dupla Jagger & Richards. Então, para variar, mais uma inédita “du cassete” a instrumental “Jump On Top Of Me” que recomendo até para a minha avó. No momento do grande hit do Voodoo Lounge, “Love Is Strong” e a voz de Keith que grunhi no microfone. Cara se vacilar ficou melhor que a original!! Para a seqüência, mais duas desconhecidas na voz de Mick: “Monsoon Raggoon”e “Luy League”, não são lá essas coisas mas passa, seguindo para um ensaio de “You Got Me Rocking” desta feita com Keith no vocal e Jagger no backing. Então vem uma versão arrastada e rouca de “Please, Please Me”, dos Bealtles, mais uma vez com Richards no vocal. A faixa seguinte traz “New Faces" em versão instrumental. Aí, para não ficara para trás, descontraidamente ao piano Mick também faz seu cover, com “It Takes a Train to Cry”, de Bob Dylan. E o disco praticamente termina com “Make It Now” outra não lançada, na voz de Keith, já que a última faixa é um divertido blá-blá-blá entre Richards e Ron Wood ensaiando “You Got It Made”. A faixa tem 17 minutos, e se você não tiver saco para ouvir desde o começo, adiante para 11 minutos passados, só para ouvir Keith soltando um motherfucker you no meio do som. Um disco altamente recomendável, em especial para os fãs de Keith Richards.







The Rolling Stones - Hoodoo Scrounge Outtakes



This is a very good bootleg from Voodoo Lounge studio sessions with outtakes and four songs unreleased. Also emphasizing the performance of Keith Richards singing “Love Is Strong” and “You Got Me Rocking”. Very Highly Recommended!











The Rolling Stones - Hoodoo Scrounge Outtakes

8 comentários:

sergio disse...

Tremendo RS raro, di bob e dando sopa e nenhum comentário. Esse mundo tá perdido, Woody. Tsk, tsk, tsk... Pra te animar, saiba que já baixei e gostei até do ensaio de 17 minutos com Keith e Ron.

Mas, vim por outro motivo: novamente tentar - tentar, porque conseguir já são outros quinhões (500.000.000) - te chamar atenção pra uma banda, projeto solo (sei lá, hoje em dia bandas são projetos solos e vice-versa), de nome St. Vincent. A mocinha por tras do St. Vincent, chmama-se Annie Clark que trabalha com outra banda que já chamei a atenção lá no G&B, The Polyphonic Spree. Além deste, ela (que é a cara da Jennifer Beals) colabora tbm nos álbuns de Sufjan Stevens. Enfim, se vais correr atrás do recém-lançado: St. Vincent/"Merry Me" eu não posso adivinhar, mas só te digo + uma coisa: que devia, devias.
Abraço!

woody disse...

pois é meu caro Sergio, na verdade já estou desanimando com esse negócio de blog, eu espereva debater música com uma pá de gente e infelizmente isso não está acontecendo, não fosse por vc e mais meia dúzia de interessados eu estaria falando sozinho, mem mesmo os meus amigos pessoais deixam comentários. Em termos de partilhar discos, posso até dizer que é um sucesso, pois neguinho baixa disco aqui que é uma beleza!, É como se alguém viesse à sua casa, bebia do seu vinho, almoçasse, e saisse sem dizer uma palavra. Sei lá cara, preciso re-pensar se vale a pena ficar escrevendo e editando imagem e no fim a maioria não está dando a mínima. Eu poderia fazer como muita gente que enche o blog de discos sem falar um "A" sobre as postagens, mas acho isso sem propósito, não é do meu estilo.
Começo a pensar que não estou divulgando porra nehuma e que sou mais um ajudando a pirataria a afundar a indústria fonográfica. Ultimaente não tenho nem conferido mais o blog como fazia todos os dias. Até fiz upload de uns discos e ainda nem postei.

Não conheço o St. Vincent, nem a Annie Clark, tão pouco o The Polyphonic Spree. Do que se trata, é indie, rock'n'roll, punk, jazz, fusion, pop?!?! Abri o e-mule e apareceu só um St. Vincent com o disco Marry Me. É a mesma banda? "Bão", tô baixando só pra conferir.

Abraço,
WOODY

sergio disse...

É, mané. É a banda e é bótima! E The Polyphonic Spree é simplismente genial! Tem até uma música que o Brasil (q v tv) conhece e não sabe que é TPS está num anuncio de algo q não lembro, como celular ou carro, mas os 10 segundos de música, lembro bem. TPS é a radicalização geral e irrestrita da riponguice no que ela tinha de mais sensacional: a vontade de ser otimista! vejam o vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=aAcjW2O9F88 (eles são tão radicais nesse desejo que chegam a ser uma e´spécie de "pitboys da paz"!) De pensar e desejar o que há de mais + impossível nesse mundo de george bushs e bin ladens, tipo a paz mundial (PORQUE NÃO!). Justamente tudo que teu texto lamentatório não exala, esperança de "dias melhores virão", mais uma vez (POR-QUE-NÃO!).

Mas não liga pro meu lado sincero radical ressacado-de-ontem, otimista-agressivo-de-hoje. Jamais desista! Este blog (não te conheço tanto, mas deve ser) é o teu projeto mais caro por que (sem boiolice) é vc se doando! No que vc mais conhece e, provavelmente, ama! e quer dividir com todos, mesmo os que não te conhecem.

Enfim. A essa altura já deves ter baixado Merry Me (case-se com uma gostosa!) só falta me dizer o que achou.

E, pra finalizar com chave (inglesa) de ouro: AÍ, AMIGOS PESSOAIS DE WOODY, VÃO ME DIZER QUE SÃO AQUELES TIPOS TÍPICOS CLICHÊS DE PAULISTAS METIDOS A LONDRINOS DO UPSIDE DOWN? MERGULHADOS E FECHADOS NO UNDERGROUND DA MOCA? TÍPICOS MATUTOS CHIQUES?
Aqui falou o sergio carioca boêmio do Rio do Pan que fez mais de 1 minuto de silêncio pelas vítimas da Tan. Mas, felizmente, pra mim, a vida continua!

woody disse...

Sergio,
baixei o Merry Me e todos os álbuns do The Polyphonic Spree e, de quebra, mais um EP. Ainda é cedo para ter um opinião formada sobre os discos, mas em princípio St. Vincent me pareceu mais um entre tantos Indies por aí. Já o The Polyphonic Spree... Puxa vida, nem sei o que dizer!! É um som tão diferente que nem acho parâmetros para comparações. Não sei se gosto ou não, é deses que a gente tem que ouvir umas três ou quatro vezes, até mais, para saber se gosta. Agora, com certeza é bem interesante o trabalho dos caras, além de ser um tanto quanto ousado fazer uma banda com coral em uma época de White Stripes (eca!).

sergio disse...

Puxa, Woody, fala fério, onde está ou melhor quem é a sua fonte Indie? Passe-a pra mim porque preciso conhecer mais desses "tantos outros" que estão por aí!...

Quanto ao Polyphonic, na fonte (em português) que consultei crítica e biografia já os estavam comparando (um dos álbuns) ao Pet Sounds. Ê, críticos! Eu sei que é exagero, mas só sua disposição de ouvir mais de uma vez pra ver se gosta, já demonstra que ao menos esses não são como tantos outros. Talvez vc conheça ou tenha ouvido falar de quem os TPS são filhote, a banda por aqui acho q não chegou, mas fez enorme sucesso nos states chegando a rivalizar com os Nirvana. Chamava-se Tripping Daisy.

Inclua, com o tempo, claro, na lista de coisas que vc precisa ouvir Cerberus Shoal. Esta é a última sugestão do mês, juro! Não quero cansar quem deve ter um monte de coisa boa pra ouvir. Mas considere o Cerberus. É tudo (que te passo) muito distante do estilo q estás acostumado a nos postar e provavelmente ouvir, mas é coisa muito foda pode ter certeza. Os discos do CS, por exemplo, estão no All Music quase tudo com constelações de 5 estrelas!
Abraço e desculpe a ressaca da bebedera que respingou em vc e nos amigos... Mas que matuto fashion é uma boa definição lá isso é...
Brinde!

Anônimo disse...

Caro Woody, não desanime, através do seu "trabalho" tive como conhecer novas bandas e conceitos musicais, e através desses posso separar o que me agrada. Tenho certeza de que quem visita seu blog fica satisfeito. Quanto a postagem é algo mais complicado, hoje todos corremos para tudo, o tempo é sempre limitado, mesmo para a garotada que passa horas e horas na internet (um paradoxo), mas é assim mesmo. Sei que quando fazemos algo bem feito é porque o fazemos com amor, não desanime cara pois como tantos outros vc é amante da música e criou esse veículo para seus "camaradas" musicais. Um forte abraço e bola pra frente.
Eric Salles

woody disse...

Grato pela força Eric!
Eu já estou me conformando com a situação, ainda tenho dúvidas quanto ao futuro do blog, eu tinha muitos planos para ele que já deixei de lado, mas por enquanto vou tocando, pois como vc mesmo notou, faço isso por gostar de música e não pela atenção alheia, acho que com o tempo conseguirei juntar um grupo de pessoas interessadas em conversar sobre música, ainda que por um breve comentário.

Abraço,
WOODY

Kekosam disse...

Grande Woody... o média fire tirou do ar. Tem como upar novamente.

Valeu, e força!!!