terça-feira, 28 de agosto de 2007

Killing Floor - Killing Floor [1970]



O Killing Floor (nome inspirado em uma canção do bluesman americano Willie Dixon) foi uma banda, formada no Sul de Londres no final de 1968 pelo guitarrista Mick Clarke, o vocalista Bill Thorndycraft, o baixista Stuart McDonald e o baterista Baz Smith, um pouco mais tarde, quando eles iniciaram os trabalhos de gravação de uma fita demo, que se transformaria em seu primeiro disco, o tecladista Lou Martin se juntou a eles. É justamente este disco de estréia, batizado com o nome da banda, que estou postando. Um trabalho que, curiosamente, acabou ganhando três edições, onde a capa foi a única diferença entre elas. A primeira em 1969 por um pequeno selo local (See for Miles) e com o nome de Rock The Blues, não ganhou muita repercussão. A segunda, através da gravadora Akarma, já com mesmo nome do grupo, chegou aos ouvidos do DJ John Edward que estava ligado no boom do British Blues e viu no Killing Floor uma boa oportunidade de se envolver na cena, atuando como produtor do grupo. Edward arrumou um contrato com uma nova gravadora (Spark Records) que em 70 relançou o disco na Inglaterra e no mercado americano (Sire Records). Como ninguém seria tão estúpido para editar um disco ruim por três vezes, é obvio que este é um trabalho de qualidade. Detalhe curioso aqui é a faixa de abertura, “Woman You Need Love” de autoria de Willie Dixon, que nas mãos do Led Zeppelin se transformou "Whole Lotta Love". O Zeppelin era mesmo um “grande fã” de Dixon, gravou várias de suas músicas, muitas vezes fazendo novos arranjos como em "The Lemon Song," cujo começo é uma música deste mesmo bluesman. O nome dessa canção? Adivinha... “Killing Floor”!! Embora Dixon não apareça nos créditos.



Para contar o resto desta história estou transcrevendo aqui um texto encontrado no blog Hard Rock 70's, não só pela minha preguiça em escrever, mas também porque eu não iria dizer nada muito diferente do que está aqui. -> “Após um começo difícil, descolam uma oportunidade como banda de abertura de artistas como Ten Years After, Jethro Tull e Chicken Shack... Totalmente calcada na sonoridade do blues elétrico de Chicago, a banda destila feeling e peso em selvagens interpretações, repletas de solos de guitarra, piano e gaita. Nesse período, faz duas turnês com Freddie King na Inglaterra e consolida certa fama no cenário. Em 1971, lança o segundo disco, Out Of Uranus, com uma pegada mais hard e um pouco menos vinculada ao blues, a formação da banda mudou com freqüência nos shows que se seguiram. Entre os músicos que passaram pelo Killing Floor nesse período estão o baixista Mick Hawksworth (Fuzzy Duck), Rod D'Ath (futuro baterista da banda de Rory Galagher) e Ray Owen (ex-vocal do Juicy Lucy). Em 1972, a banda encerrou suas atividades, mas os músicos do Killing Floor, continuaram na ativa: Lou Martin foi tocar com Rory Galagher; Baz Smith foi para o Toe Fat e Mick Clarke mudou para os EUA onde montou a sua própria banda. Recomendado para fãs do Taste, Free, Savoy Brown e Livin' Blues!”





Killing Floor - Killing Floor

By Mark Brennan from http://www.alexgitlin.com/kf.html (Week of May 24, 1998) -> Killing Floor formed in South London in late 1968 when guitarist Mick Clarke, vocalist Bill Thorndycraft, bassist Stuart McDonald and drummer Baz Smith recruited keyboardist Lou Martin and began a bout of intensive rehearsals. After just one gig and after having hawked their demo tape round various agents, Killing Floor were picked up on by ex-Radio Caroline DJ John Edward. Martin recalls, "Edward thought we sounded like Hendrix and as the British Blues boom being in full flow saw us as a chance to get involved in the scene."
Edward booked the band for Dunstable's California Ballroom and so gave Killing Floor support slots to the likes of Ten Years After, Jethro Tull, Chicken Shack, The Herd, The Casuals and Junior Walker And The All Stars amongst others. He also secured the band a deal with Spark Records who released the group's self-titled LP, produced by Edward, in mid-1969 (SRLP 102). Around this time, the band were offered the chance to back Freddie King on two UK tours which helped further their growing reputation. The band also appeared on all the contemporary British radio rock shows and toured solidly around the U.K.
A deal was later struck with Penny Farthing Records who released the single, 'Call For The Politicians'/'Acid Bean' (PEN 745) and the band's second LP 'Out Of Uranus' (PELS 511), again produced by John Edward but with Troggs producer Larry Page acting as executive producer. However, despite numerous European tours the band's line-up began to change regularly and at one point included ex-Juicy Lucy vocalist Ray Owen and future Rory Gallagher drummer Rod D'Ath, as well as bassist Mick Hawksworth, ex-Fuzzy Duck. By mid-1972, Killing Floor had effectively finished when the various members became Toe Fat Mk. III and began backing Cliff Bennett.
Bill Thorndycraft retired from music and became a social worker in South London, whilst Baz Smith continued to play in jazz trios; Stuart McDonald formed a band called Peace with ex-Free vocalist Paul Rodgers before returning to his native Wales and playing in local bands. As mentioned, Lou Martin joined Rory Gallagher's band, toured with Chuck Berry and later played with Blues'n'Trouble. Guitarist Mick Clarke, after a brief stint in the USA, formed legendary pub rockers S.A.L.T. with 'Little' Stevie Smith before in 1983 forming the Mick Clarke Band, and has released ten LPs the latest of which 'New Mountain' has just been put out by Burnside Records.





Killing Floor - Killing Floor

3 comentários:

snowmonkey disse...

Greetings from Amerika!

This album keeps popping up in my net travels. Maybe better give it a listen.

Thanks!

woody disse...

Go ahead, listen! If you like rock-blues, you will like this record.

Duda disse...

Cara muito obrigada! A muito tempo venho tentando buscar informações sobre essa banda. Mas a todos que pergunto, ng nunca ouviu falar!
muito obrigada mesmo , pelas informações.