sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Gordon Haskell - Harrys Bar [2002]





Este post foi um pedido do amigo Sergio, ilustre freqüentador aqui da casa que ao ver um trabalho do King Crimson aqui postado lembrou de Gordon Haskell e sua bela performance no disco Lizard. Na verdade, passagem de Haskell no Crimson foi muito breve e ele ficou marcado como o único cantor do grupo, que nunca se apresentou ao vivo, deixando a banda durante o período de ensaios para a turnê, porque possuía uma orientação mais voltada para o folk, que entrava em conflito com o som do Crimson. Robert Fripp o conheceu em meados dos anos 60 quando tocavam juntos no League of Gentlemen que percorria a Inglaterra tocando soul e R&B, ou seja, nada a ver com o álbum League of Gentlemen que Fripp lançou em 81, onde inclusive, quem tocava o baixo era Sara Lee (Gang of Four). Após deixar o Crimson, Haskell lançou um disco chamado It Is And It Isn't, contando com a participação de John Wetton, outro ex-Crimson. Depois, ele trabalhou com Alvin Lee, Van Morrison e Tim Hardin. Andou meio sumido na década de 80, mas voltou à ativa nos anos 90 e, de lá para cá, já gravou uns dez discos. Harry’s Bar é apontado como um dos seus melhores trabalhos, mas quem espera ouvir algo parecido com King Crimsom, já vou avisando não é por aí, o estilo dele é mesmo folk music com uma pegada jazzística, lembrando um pouco Norah Jones, aliás, com quem andou tocando recentemente.
Fonte -> All Music Guide




Gordon Haskell - Harrys Bar


Gordon Haskell is usually thought of as a footnote in the history of King Crimson—the only lead singer in the group's long list of personnel who never played a single live date with the band, though he was with them long enough to cut most of an album (Lizard) and get one performance ("Cadence And Cascade") onto its predecessor. Otherwise, he's been an enigma even to many Crimson fans. Haskell's history with Robert Fripp goes back to the days they spent together in the mid-1960's as members of the League of Gentlemen, a band that backed various American r&b stars on tour and cut a couple of singles. Haskell cut a solo album, It Is And It Isn't, during 1973, and worked with such artists as Tim Hardin, Alvin Lee, and Van Morrison. His solo work tends to be in a folk-like singer-songwriter vein, reminiscent of Gordon Lightfoot with something of a progressive rock edge and more humor, some of it very sardonic. Based in southern England at the end of the 1990's, he concertizes regularly in the Hampshire and Dorset areas, and he has continued his recording career into the 1990's with his albums Butterfly in China and Hambledon Hill. In 1993, he also teamed up with Mike Wedgewood (ex-Curved Air and Caravan) to tour Scandanavia. In the late 1990's, Voiceprint Records' Blueprint label reissued Haskell's solo albums of the 1960's and 1970's on compact disc. The massively popular "How Beautiful You Are" hit British airwaves in the winter of 2001, announcing Haskell's comeback to music. Harry's Bar followed the next year, fully bringing him back into the public spotlight after years of inactivity. -> By Bruce Eder (All Music Guide)

6 comentários:

Progasaurus Rex disse...

I am new to this site.
When I saw this I was ecstatic, but sharebee says file has been deleted.

woody disse...

Hi Progasauros Rex!
I had some problems with the link, but is already fix now.

Anônimo disse...

Ha, ha, hai, como fã número 1 do King Crimson vou baixar.
Se for bom, gravo, se for ruim, jogo na lixeira hihihi.

Mui grato
At.
Silvio Santos

woody disse...

Muito bem SILVIOOO!
mas vou logo avisando não tem nada a ver com o KC, mas também não é de se jogar fora.

Abraço
WOODY

sergio disse...

Graaaande, Woody! Dei uma viajadinha a Niteroi - pra carioca ir a Niterói é uma viagem. E vim aqui agora naquela de "quem sabe?" e tu baixou o álbum! Brother, não sei quanto ao resto dele, mas "How Wonderful You Are" que eu já tinha conseguido baixar no slsk, gostei muito! Agora ouçamos o resto. E, jogar fora jamais! Fico-lhe muito grato aliás. Valeu aê.

Ah! ps.: achei GH muito a praia de Elvis Costelo (pelo menos a tal música já ouvida)

woody disse...

E mesmo um disco interessante, bem diferente do KC, já "How Wonderful You Are" de fato lembra um pouco o Elvis Costello, mas creio que está mais para o Costello ter entrado na do Haskell que o contrário. O Costello entrou nessa de jazzy depois que começou a dar uns Krall na Diana, e como precisava imprecionar a moça, passou do rock para Burt Bacchara!