segunda-feira, 25 de junho de 2007

Chris Rea - God's Great Banana Skin (1993)

Achados & Pedidos


Chris Rea é um cantor e guitarrista inglês que começou sua carreira substituindo David Coverdale em uma banda chamada Magdalena que, creio eu, nunca chegou a lançar um disco. Mas Rea ficou mais conhecido em carreira solo do que fazendo parte de grupos, ganhando popularidade a partir dos anos 80. É um excelente guitarrista que transita entre o blues-rock e o pop. Eu particularmente gosto mais quando ele está na praia do blues-rock, porém ele parece preferir o pop, por isso mesmo tenho algumas reservas com alguns de seus álbuns, mas gosto muito deste God's Great Banana Skin. Um pedido do amigo Sergio que nos recomenda ainda o cd Auberge (1991).




God's Great Banana Skin

5 comentários:

sergio disse...

Hoje me sinto duplamente homenageado, Woody. Embora já tenha conseguido baixar este álbum... Chris Rea, aliás depois de um comentário meu aqui relacionando os estilos do Chris com o de Ana Popovic, numa música pelo menos, voltei a obra desse gênio da guitarra e baixei tudo que havia de bom. Pesquisei. Descobri que o cara é fanático por carros, nato Tiffosi, que, apaixonado por Airton Senna, compôs-lhe uma música em português com uma única palavra única da nossa língua: "Saudade". E quando disse duplamente homenageado, digo pq lá no G&B, em 1º plano está a discografia do Gentle Giant. Mas voltando ao Rea, acho que o cara anda, corre, pula de pé só e dá mortais encima dessa corda bamba sem redes de segurança entre o pop e o puro blues, o blues rock o rock e o underground. Claro que quem se arrisca (como ele se arrisca) tbm leva uns tombinhos. Mas o cara é um esteta da slide guitar e um melodista precioso! Como digo as vzs ao Edson do G&B, tente rever seus conceitos e dê uma chance ao CR no pop também porque esse cara é bom, esse cara merece. Valeu, a homenagem, Woody!

woody disse...

Vamos ver, estou sempre disposto a ouvir e re-ouvir as coisas por aí! Deixa eu aproveitar para dizer o que me esqueci de te contar lá em cima na abertura. Vc disse que não sabia por onde começar e ia arriscar no desconhecido(Tijuana Bible). Seu sortudo, sem querer vc foi direto no melhor doce da festa, o disco é um petardo do começo ao fim no melhor estilo texano!!

Roderick Verden disse...

Concordo com o Sérgio. Tenho 5 vinis(nacionais) do Chris Rea, incluindo o "Deus é uma grande casca de banana"(a letra tem muito a ver). Com CR aconteceu o oposto do que ocorre com a grande maioria dos músicos de rock: Ele começou bem pop-beirando o descartável- caretão, com os cabelos curtos; depois seu som foi melhorando, ficou cabeludo e barbudo... É um mestre da slide guitar e dono de um vozeirão. Algumas de suas músicas me fazem lembrar o também bom, Dire Straits, ou melhor, Mark Knofler(apesar do vocal bem diferente).
É raro posts de Chris Rea.
Parabéns, Woody

Laís disse...

Estilos semelhantes sim, Dire Straits e CR. A diferença é que o DS Surgiu como um cometa. Um som que orbitou a terra uns bons anos com uma músicas, inexplicavelmente, unânimes. Mas depois que passou o efeito, amigos, eu não sei se foi pela massificação exagerada, todo mundo comprando, ouvimndo, MTV esfregando na cara... Mas cansou. E cansou de uma maneira que pra voltar a ouvir ainda vai demorar muito. Como uma comida que a gente comeu tanto que não guenta mais nem olhar.

Já Chris Rea me soa correto como um vinho bom sempre. No carro é um achado. E o barato é que ainda tem muitas coisa boa pra se ouvir que nem conheço. Esse disco, por exemplo, não conhecia nem a capa. Baixei ouvi e gostei para K...!!!
Belo disco, Woody. Valeu!

woody disse...

Curioso ouvir isso de vcs, porque eu tb acho que o Chris Rea tem lá as suas semelhanças com o Dire Straits, em especial neste God's Great Banana Skin.

Obrigado por prestigiarem o Boogie Woody com seus comentários.