terça-feira, 1 de junho de 2010

Meretrio - Meretrio [2008]




É engraçado como as vezes é preciso que alguém de fora nos apresente uma música nossa para tomarmos conhecimento da sua existência. Mas foi exatamente assim que conheci o Meretrio. Eu tenho um amigo inglês apaixonado pelo Brasil, tanto que vêm para cá a cada dois anos e até comprou uma casa em Boiçucanga no litoral norte paulista. Seu nome é Pete Turner, o cara é guitarrista e um amante fervoroso da música brasileira, em especial a instrumental. A última vez em que esteve aqui, no início deste ano, após fazer sua habitual peregrinação pelas lojas de CDs garimpando raridades e novidades, voltou com uma pacoteira de uns 40 ou mais discos. Aliás, ele faz isso toda vez em que põe os pés na “Terra Brasilis”, sua coleção particular tem bem mais de 1000 títulos e, entre todas as pessoas que conheço, este inglês é o cara que mais aprecia música brasileira, sempre me apresentando músicos que eu ignorava, sejam da velha guarda ou da nova geração. Pois bem, como eu dizia, ele voltou das compras com uma sacola de discos e, como sempre faz, me mostrou suas descobertas me deixando gravar as do meu interesse, entre as quais estava o Meretrio, primeiro lançamento do grupo com uma capa modesta, sem chamar muita atenção, mas não sei por que, instinto talvez, aquele CD me despertou o interesse. “O que é isso?” Perguntei. Pete disse que não conhecia muito bem e que fora recomendado pelo lojista, que já o conhece “de outros carnavais” e abre um sorriso de orelha a orelha toda vez que vê esse simpático cidadão britânico entrar em sua loja, pois sabe que ele não vai sair dali sem levar, pelo menos, uma dúzia de bolachinhas digitais. Comecei a ler os dizeres do encarte e encontrei a seguinte recomendação: “Música consciente, plena de surpresas, meio Kurt Weill, meio Mingus, tentando se libertar da tirania "jazzística ", sem deixar a criatividade. É isto que nos mostram Emiliano e seus companheiros. Maestro Roberto Sion”. Apresentado pelo meu amigo Pete, recomendado pelo maestro Sion, me pus a ouvir mais do que depressa e já na primeira orelhada virei fã desse surpreendente trio, que não recorre a clichês, ousando combinações inusitadas de ritmos e sons. Fiquei muito bem impressionado com este trabalho, sem desmerecer uma faixa se quer, portanto, disponibilizo aqui com alta recomendação aos amantes da música instrumental. Mais tarde, no MySpace, ainda encontrei esta frase do guitarrista Ulisses Rocha sobre o trio: ““O Meretrio é um daqueles grupos que não se contentam com o lugar comum, sempre em busca de novidade, da linguagem, da identidade. Por isso soa tão diferente e tão interessante, muito além da inegável competência.”. É meus amigos, no quesito simpatizantes, os caras estão muito bem na fita!

Depois deste disco eles ainda lançaram mais dois trabalhos: Projeto Meretrio (2010) adicionando ao grupo seis instrumentistas de sopro; e o novíssimo Na Cozinha, lançado este mês, trabalho em parceria com o tecladista Pedro Assad (outro músico da minha mais elevada indicação). Então fiquem atentos na próxima compra de CDs, se encontrarem qualquer um desses discos, não deixem de comprar, pois são produções independentes, vendidas a preços módicos, mas com belos encartes, trazendo informações relevantes e, o mais importante, música de primeiríssima qualidade.






Com a proposta de tocar arranjos e composições para a formação de power trio, o Meretrio, formado em 2003 por Emilaino Sampaio, Gustavo Boni e Luís André “Gigante”, vem desenvolvendo um trabalho consistente nos últimos anos, explorando a capacidade individual e coletiva na produção de música instrumental. Em seus shows o grupo apresenta um repertório dividido entre composições originais (algumas delas lançadas no primeiro disco do grupo em 2008) além de releituras de standards da música insturmental e canções de conhecidos compositores brasileiros como Chico Buarque, Edu Lobo, Pixinguinha, Dori Caymmi entre outros. A mescla do repertório se dá através de arranjos bem elaborados que utilizam diversas linguagens musicais para produzir uma música moderna e interessante, ao mesmo tempo em que se preocupa em satisfazer tanto o público leigo quanto o especializado em música. Pelo modo criativo que são tratados a improvisação e as diferentes combinações da aparentemente reduzida formação de trio, o trabalho desenvolvido tem grande aceitação pelo público que desconhece a linguagem da música instrumental, trazendo uma música rica em detalhes e diálogo explorando estilos bem característicos da nossa música como o baião, frevo, samba e choro sem deixar de lado a influência do jazz, funk, rock, música eletrônica e afins. E é justamente nessa mistura de diferentes elementos, tão distante para alguns, que se encontra a abordagem estilística do Meretrio.
Fonte: MySpace




Meretrio - Meretrio [2008]


With the proposal to play arrangements and compositions for the formation of power trio, the Meretrio, born in 2003, from Campinas (São Paulo - Brazil), with Emilaino Sampaio (guitar), Gustavo Boni (bass) and André Luís "Gigante". They has been developing a consistent work in next years, exploring the individual and collective capacity in production of instrumental music. In their concerts the group presents a repertoire divided between original compositions (some of them released on the group's this first album in 2008) also re-examined standards jazz and songs from well known Brazilian composers like Chico Buarque, Edu Lobo, Pixinguinha, Dori Caymmi and others. The mixture of the repertoire occurs through well-designed arrangements using different musical languages to produce a modern and interesting music, while also worrying to satisfy both the lay public as the skilled in music. By the way they are treated to creative improvisation and different combinations of apparently reduced formation of the trio, the work has great acceptance by the public who don't knows the language of instrumental music, bringing a rich music in detail and dialogue, exploring styles and characteristic of Brazilian music as Baião, Frevo, Samba, and Chorinho without leaving aside the influence of jazz, funk, rock, electronic music and others. It’s exactly in this mixture of different elements, so far for some, that is the stylistic approach of Meretrio.
From: MySpace




[*]









16 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Putz! Ô da madeira! Gostei muito do que assistouvi. O som desse Warwick é fooooda! O Arthurzinho (Maia) só usa esse. Tenho uma gravina que fizemos juntos em que o som -e seus fraseados matadores, é claro!- do baixo não nos deixa perceber mais nada na música. O cara engoliu todo mundo, hehehe.
Baixando djá!
[]ões

woody disse...

Graaaande mestre das berlotas buenas!!!

Noto que vc checou o YouTube antes de se arriscar. Uma boa idéia essa de deixar uma amostra de ver e ouvir. Eu tinha certa resistência em colocar o YouTube no blog, mas agora vejo que é mesmo uma coisa boa. “Eletro” é uma ótima faixa do disco, mas como eu disse no texto, as outras são do mesmo naipe embora distintas uma das outras. Tenho certeza que vc vai curtir o álbum.

De fato, o Warwick fretless é um senhor baixo, se eu pudesse ter mais de um compraria um desses, (é o 3º no meu sonho de consumo, o 2º é um Music Man, com trastes) mas o preço é salgado como o de todo bom instrumento. De modo que tenho que me contentar com o meu Fender Precision fretless que, na verdade, é o primeiro na minha predileção. Ele tem, além da captação normal do Precision, um captador do Jazz Bass na ponte e a combinação dos dois resulta em um grave poderosíssimo. Normalmente eu o uso com todos os captadores abertos e puxando um pouco mais para os médios na amplificação.

Não sabia que vc tinha tocado com o Arthur Maia, gostaria muito de ouvir isso. Aliás podíamos um dia trocar umas gravações, assim vc teria uma idéia do som que faço e vice-versa.

Valeu pelo comentário, vc bem sabe que esse tipo de som não costuma agradar muita gente, nem a gregos e tão pouco aos troianos, somente pessoas de gosto refinado como nós! Hahahahahah!

Abraço,
WOODY

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaala!!
Bela novidade essa! A galera brasuca sempre manda bem no instrumental, tenho certeza que vou me amarrar no som do Meretrio - me amarro em trocadalho do carilho e esse nome da banda caiu muito bem.

Li essa história do baixo aí - músicos são todos as mesmas coisas com esse tesão por seus instrumentos... rsrsrsrsrs
Da mesma forma que sou louco pelas guitarras Gibson, baixo, pra mim, tem que ser Fender, tanto que o meu titular é um Precision, mas ando babando pelo Geddy Lee Jazz Bass... Apesar da preferência pelos baixos Fender, meu primeiro baixo importado foi um Rickenbacker 4001 (por 'culpa' do Geddy Lee, é claro!! rsrsrs), que eu tenho até hoje e continua sendo usado.
Ultimamente tenho tocado mais o baixo do que qualquer outro instrumento, porque tem rolado umas jams com uns amigos e sempre sobram guitarristas (todos bem melhores do que eu) e sempre falta um baixista, aí, pra eu poder me divertir... sacumé... rsrsrsrsrsrsrs
Valeu Mr. Al!
Aquele abraço!
ML

woody disse...

Ora ora meu caro Maddy Lee,
pelo que posso notar vc está muito bem de instrumento. Opa! No bom sentido é claro! Vamos deixar isso bem evidente. Pois vc bem sabe como é, agente fala uma coisa e neguinho já sai logo interpretando outra, é por isso que por aqui a rapaziada anda com a bunda na parede e mesmo assim não dá para confiar, pois todo mundo sabe que é melhor confiar sem dar mesmo, a não ser que vc seja mulher. Hahahahaha!!!

Bom, palhaçadas a parte. O Meretrio é mesmo um grupo admirável, ouve aí que vc vai curtir, é bom do começo ao fim.
Caramba, quanta coisa boa vc tem aí, eu gostaria de poder ter mais um ou outro briquedinho, mas no momento minhas condições não estão ajudando, ainda no final do ano passado tive que vender uma Fender Hartfield(Japan)por uma merraca para pagar uma dívida, me sobrou só meu velho Precision (1986, nem é tão velho assim) e uma Telecaster (USA) que uso muito pouco. Adoraria ter uma Gibson 335, um Jazz Bass modelo 67 e um teclado Fender Rhodes, mas por ora está fora de cogitação.

Então vc tb tem Precision. Bacana heim! Que ano? China, Japa ou USA? Fretless ou com trastes? Com captação normal ou com um Jazz Bass na ponte? 3 ou 2 botões de ajuste? Quanto ao seu desejo por um Geddy Lee Jazz Bass. Morando por aí vc vai encontrar um “facim, facim” e a preços módicos é só olhar no E-Bay. No entanto, com um Rickenbacker 4001 e um Precision, vc não precisa de mais nada, está com tudo e não tá prosa. A não ser que vc resolva colecionar baixos, mesmo sendo um guitarrista. Um paradoxo que já teve precedente, pois o saudoso John Entwistle, baixista do The Who, era colecionador de guitarras e tinha mais de 100 em sua coleção.

Veja vc como são as coisas, por aí sobra guitarristas e por aqui é justamente o contrário, toda vez que reunimos a galera para umas jams eu fico na fila de uns três baixista esperando a vez. É mole!!


Abração,
WOODY

Voltarol disse...

Oi Woody,
I've just read the blog where you mention me. Thanks for the kind words! So now all the readers of boogie woody know the true identity of Voltarol!

woody disse...

Hey, hey hey, my big friend Voltarol!

Well my dear, if the readers of Boogie Woody knows your secret identity, is not my fault. 'Cause I never say this. WAs you that said now!

Yeah my friend, today, is very difficult to keep secrets. Heheheheh!

Do not worry about that, tomorrow nobody will remember anyway!

Best wishes,
WOODY

Anônimo disse...

meretrio? bom, desconheço...Nome sugestivo .
Mas gostaria de uma palavra sua( e dos leitores ,claro!) sobre os 40 anos do disco "Exile on main street",feito nos poroes de uma casa (mansão?)dos horrores .
Me,myself and I.

woody disse...

Carlos Me,myself and I,

Não há muito o que dizer sobre o "Exile on Main Street". A não ser que os Rolling Stones é uma das melhores bandas de rock do planeta, do planeta só não! Da Bahia!!!! E o "Exile On Main Street" é, na minha modesta opinião o melhor disco que sua majestade satânica já gravou. Precisa falar mais alguma coisa?

Abraço,
WOODY

Cybersnake disse...

Vudão,
dá um help ae.
Onde posso encontrar o original das meretri...o :) Tentei o myspace e até agora nada de retorno.

Abraços fusionados

woody disse...

Cybersnake,

Não entendi o que você quer dizer com "original", mas se for um link, procure o asterisco "[*]", logo abaixo da foto dos caras que está bem em cima da janela do YouTube. Agora se for o endereço deles no MySpace é esse: http://www.myspace.com/meretrio .
Se acaso vc quer um site oficial, creio que não tem, é só o MySpace mesmo.

Abraço,
woody

Cybersnake disse...

Eu quis dizer que estou interessado em comprar o CD dos caras.

woody disse...

Cybersnake,
Aqui em São Paulo, você encontra o cd na POP's Discos, que fica na
rua Teodoro Sampaio, 763 - Loja 4. Na altura da Álvares Guimarães. Naquele pedaço que tem uma loja de instrumentos musicais ao lado do outra, por isso mesmo é chamada de rua dos músicos. Agora, se não me falha a memória, você não é daqui, então fica difícil. Mas a loja tem um site e aceitam encomendas.

Site: /www.popsdiscos.com.br
Fone/Fax: (011) 3083 - 2564

Outros lugares: talvez na livraria Cultura, Fenac, Galeria do Rock (essa só em SP).

Uma alternativa é entrar em contato direto com eles através do MySpace ou Facebook, com certeza eles saberão te indicar o lugar certo e o melhor preço.

Abraço,
woody

Cybersnake disse...

Valeu, Vudão.
Enontrei e já encomendei na Pop's.

Spasiba

Anônimo disse...

Gostaria de convidar todos os amigos para ouvirem os três discos da história do Meretrio!! Agora está tudo disponível na net de graça pra download !

Espero que gostem, ouçam, comentem, critiquem, etc...


Meretrio http://sharebee.com/dad5cfef

Projeto Meretrio http://sharebee.com/870a5b3d

Pedro Assad e Meretrio Na Cozinha http://sharebee.com/c0c16e15



www.myspace.com/meretrio

woody disse...

E aí galera Meretrio!

Pô! Que bacana essa iniciativa. O primeiro disco, obviamente já conheço bem. O trabalho com o Pedro Assad eu baixei, não me lembro bem onde, mas acho que foi no MySpace ou no site do Pedro mesmo, uns demo tapes ou coisa assim que foram disponibilizados quando o disco estava sendo mixado. Já o Projeto Meretrio, ouvi só algumas coisas que estavam no MySpace. Então vou aproveitar a oportunidade e escutar melhor esses discos.

Um fato curioso nisso tudo é que, pelo pouco que ouvi dos outros dois discos, os trabalhos me pareceram bem diferentes entre si. Não sei se ainda estão procurando um som característico, ou se a proposta é essa mesmo, ou seja, estar sempre buscando uma sonoridade diferente em cada trabalho. De qualquer forma, achei todo muito interessante!

Parabéns pelo bom gosto e originalidade. A propósito, quando será a próxima apresentação em São Paulo-SP? Gostaria de vê-los ao vivo e em cores!

Abraço,
woody

Emiliano Sampaio disse...

Fala!! valeu pela ajuda de sempre divulgando nossos sons!! e acabamos de gravar um show nos estudios da Trama!! espero que gostem!! ta ai pra download free!!
http://tramavirtual.uol.com.br/musica/playlist/dynamic/disco/60001