terça-feira, 4 de maio de 2010

J. B. at the Grammy Museum [2010]





O guitarrista foco deste post dispensa maiores comentários e apresentações desde os idos tempos dos Yardbirds, quando ainda era um jovem em ascensão, porém já aclamado como um dos melhores da sua geração. Hoje Geofrey (nome de batismo) não é só um dos melhores da sua época, como também de todos os tempos, apontado por críticos e entusiastas do jazz, do rock e da música de maneira geral. Depois de sete anos sem um single sequer, ele finalmente lançou um novo trabalho este ano. Eu não diria que o disco é um dos melhores da sua carreira, mas está longe de ser ruim e tem grandes momentos.

O lançamento se deu primeiramente no Japão. "Talvez todas as coisas boas vêm para quem espera e sobrevive", J.B. publicou em seu site: “Tóquio foi muito divertido, como sempre. As pessoas são tão simpáticas, prestativas e o show rolou muito bem. Eu fiquei sabendo (quando ainda estava por lá) que meu novo trabalho estreou em 1º no Japão na International Weekly Album Sales Chart, bem como 1º no Amazon E.U. Chart e 10º na parada de álbuns do Reino Unido no meio da semana. Nada mau para alguém que não lançava nada há 7 anos! Estou muito contente que as pessoas gostaram do álbum."

Voltando aos EUA o guitarrista tratou de promover o lançamento e um dos shows aconteceu em 22 de abril, quando fez uma curta, mas memorável, apresentação no Grammy Museum em Los Angeles, de onde tiramos o bootleg postado aqui. A ocasião serviu também para apresentar a banda que o acompanhará nas turnês que, em relação ao ano passado, trás duas mudanças significativas. Na bateria saiu o grande Vinnie Colaiuta (Frank Zappa), para dar lugar a Narada Michael Walden (Mahavishnu Orchestra), outro monstro das baquetas. No baixo já não temos mais a angelical Tal Wilkenfield, mas calma seus sacanas, não há motivos para choradeiras, pois a beldade deu lugar à outra belezura, a sexy e igualmente virtuosa, creio que toca até mais que Wilkenfield, Rhonda Smith (Prince). O tecladista e parceiro de composição Jason Rebello continua na banda. Nesta apresentação o grupo tocou todas as faixas instrumentais do novo álbum, exceto “Never Alone”, no entanto não tocou nenhuma das faixas cantadas, no lugar delas incluiu “A Day In The Life”, cover dos Beatles que já vinha tocando regularmente nos shows, “People Get Ready” e a surpresa ficou por conta de “How High The Moon” um standard de jazz acompanhado por um coro (única música com vocais) que não faço idéia de onde tenha saído, talvez seja playback ou então o Grammy Museum tem coralzinho de plantão. Mas quem liga? O que importa mesmo é a guitarra de J.B.

Se acaso alguém estranhou que eu não citei o nome artístico do nosso guitar hero nem uma vez, foi porque os xiitas e talibãs continuam de plantão aterrorizando os blogs por aí. Então achei por bem não arriscar!



J. B. at the Grammy Museum [2010]

On April 22, J. B. did a short but very enjoyable set at the Grammy Museum in Los Angeles to promote his new album, This bootleg bring the presentations broadcast made by KLOS 95.5 FM.



[*]

10 comentários:

Anônimo disse...

Many thanks for sharing a greatest guitarist by a Jeff Beck Italian fan

woody disse...

Amico italiano,

se voi è piaciuto il nuovo CD, amerete anche questo bootleg, Ha una qualità del suono impecvel!

Salute ad un amico brasiliano,
WOODY

Edson d'Aquino disse...

Ueeeba! Presente pra mim, ô da madeira? Mas nem meu aniversário é! hehehe
[]ões

woody disse...

Ô das berlotas,
para os amigos aqui tem presente todos os dias, principalmente caras de bom gosto que apreciam os clássicos da música universal (porra quem ler isso vai achar que é Mozart!!). Afinal eu peguei o lançamento original com vc, nada mais justo que retribuir com um bootleg a altura.

Esse é dos bons, gravação impecável, tudo muito bem equalizado e para melhorar o homem estava inspirado, o que pode se notar não só pela música, mas também o bom humor na entrevista que ele começa com uma imitação do Pato Donald. É mole!?!?!

Abraço,
WOODY

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaaande Woody!
Pra quem ficou um tempão só pelos bastidores, até que você tá tirando bem o atraso! Excelente!
Não dá pra recusar essa performance de Jeff 'Deus' Beck - baixando já!
Abração!
ML

woody disse...

Pois é Maddy,
os posts são ocasionais, mas a intenção é manter o blog, pelo menos, um pouco mais atualizado. O Jeff sempre mandou bem, mesmo nos discos mais fracos sempre tem algo que se salva, neste caso só não curto muito Somewhere Over The Rainbow e Nessun Dorma, parece que o cara estava meio sentimentalista demais quando incluiu essas no disco, mas as outras, inclusive A Day In The Life, People Get Ready e até mesmo How High The Moon, são super legais. Sei que você gostou do Emotion & Commotion e certamente vai gostar muito deste bootleg também, pois como eu disse para o Edson, a gravação é ótima e as interpretações são inspiradas.

Abraço,
WOODY

Anônimo disse...

Thanks so much for this big present from A french fan .

woody disse...

Francs ami,
j'espère que vous apprécierez ce bootleg. We have a interesting interview and great music here.

Pardonnez-moi de francs pauvre,
WOODY

Fred Benning disse...

Woody, agora novo end.

http://www.musica-quemudouomundo.blogspot.com/

Abração amigo

woody disse...

Está anotado Fred.

Eu bem que tentei entrar no seu blog ontem e não consegui, agora já sei porque.

Abraço,
WOODY